O Duque e Eu, de Julia Quinn

O pai de Simon Basset esperou anos por um herdeiro. Sua esposa sofria abortos constantes e as duas gestações que chegaram ao fim deram ao duque natimortos. Quando Simon nasce saudável, ele fica jubiloso. Sua esposa não sobrevive ao parto e o bebê é relegado à uma ama, que se dedica a ao menino como se fosse seu. 

O duque não demonstra nenhum interesse pelo menino, que aos quatro anos, ainda não disse uma palavra. Quando Simon enfim fala, é com uma gagueira severa, que enoja o pai a ponto de dizer que o menino é idiota e que ele não tem filho algum. 

Simon lida com a rejeição e ausência do pai trabalhando na sua fala, na esperança de conquistar o respeito e afeição do pai. Quando o visita, aos 11 anos, ele consegue dizer umas poucas palavras sem gaguejar, mas à primeira falha, o duque reitera seu desejo de nunca mais ver o filho. Sem esperanças de agradar o pai, Simon promete tornar-se o oposto do que o duque esperava. 

Daphne Bridgerton está tentando escapar de Nigel Berbrooke, um pretendente, quando Simon a vê pela primeira vez. Ele pensa em intervir para ajudá-la, mas com três irmãos mais velhos, ela sabe se proteger. 

Quando os dois descobrem com quem estão falando, eles retornam para o baile, onde Simon conversa com Anthony, Benedict e Colin, irmãos de Daphne, e é apresentado a todas as moças solteiras da festa. E suas mães. É na conversa com os irmão que ele deixa escapar que já conheceu Daphne, mas inventa uma desculpa aceitável para o encontro, e ao ser apresentado oficialmente a ela, a chama para dançar. 

Se torna óbvio que o humor dos dois combina, e eles conversam durante toda a valsa. Ele logo percebe que a quer. A deseja, com desespero. Ele sabe que Daphne quer se casar e como ele está irredutível na sua promessa de permanecer solteiro, sabe que jamais poderia sequer tocá-la. 

Para evitar o casamento e as mães da sociedade, ele elabora um plano: fingir que corteja a irmã mais nova de seu melhor amigo. 

Apesar de todos os seus atributos, Daphne ainda está solteira, e sabe que receber as atenções de um duque pode atrair pretendentes. Ela aceita fingir ser cortejada por ele, já que não tem mesmo muitas opções. Ele se veria livre e ela receberia as atenções de um duque, o que certamente a deixaria mais desejável aos solteiros, fazendo com que ela tivesse a chance de receber um pedido de casamento. 

Quando a visita no dia seguinte, Simon se surpreende ao encontrar meia dúzia de pretendentes na sala de visitas. Violet, mãe dos Bridgertons, habilidosamente se livra de todos, para deixar que o duque a corteje. 

Fica nítido quão impressionado ele fica com Daphne, por seu humor e inteligência. Os dois colocam o plano em ação. 

Em apenas um dia, Daphne percebe que o plano pode ter falhas. Os encontros com o duque a atingem com precisão e ela sabe que mesmo que não deva ou possa, vai se apaixonar pelo homem. 

“E Daphne sabia, sem sobra de dúvida, que estava se apaixonando.

A ironia era extraordinária. Ela havia começado a passar tanto tempo na companhia de Simon com o objetivo específico de atrair outros homens. Por sua vez, ele começara a passar tanto tempo com ela para evitar o assédio das mocinhas casamenteiras.

Pensando bem, avaliou Daphne, apoiando-se na parede, a ironia era extraordinariamente dolorosa.”

Ela percebe que ele a quer, tanto quanto ela. Quando os dois são pegos em uma situação comprometedora, Anthony diz que o amigo tem que se casar. Diante da refusa de Simon, Anthony o desafia para um duelo ao amanhecer. 

Daphne, horrorizada, tenta impedir os dois, e após dramatizar um pouco a situação na qual está, convence Simon a casar-se com ela. Simon a avisa, no entanto, que não pode ter filhos. Apesar de decepcionada, Daphne decide casar-se com o duque de qualquer maneira. Ela sabe que a vida sem Simon não é uma vida que ela está disposta a viver.

“O amor por aquela mulher inundou seu peito, fez os dedos de sua mão formigarem e o deixou sem fôlego.”

O Duque e Eu é o primeiro livro da série Os Bridgertons, o que dá início e nos apresenta os filhos de Violet e seus amigos, e a famosa e anônima Lady Whistledown, colunista de fofocas que parece sempre saber tudo sobre tudo. 

É uma linda história sobre vencer obstáculos, se apaixonar, e perdoar e seguir em frente. 

Já leu algum livro da Julia Quinn? Gosta tanto de romances históricos quanto eu? Nós queremos saber mais sobre você! Deixa seu comentário aqui 🙂

Comprar na Amazon

0 Comentários

Deixe o seu →

Deixe uma resposta